A reunião

Casa do Latão

— (ao telefone) Acabei de chegar. Foram 45 dias de trabalho, direto. Acordava às seis da madrugada e trampava até à oito da noite. Pauleira! E pra completar, essa viagem de volta, 11 horas de estrada, com esse calorão! Tô quebrado, amor! … Lógico, tô morrendo de saudades também! … Hoje não vai dar. Tenho aquela reunião importante aqui em casa, marcada desde antes de eu ir, tá lembrada? … Viajo amanhã à tardinha pra São Paulo. Bate-volta. Depois de amanhã a gente fica junto… Tá chorando, amorzinho?

 

Casa do Piru

— Nem bem chegou e já vai sair?

— É a reunião, meu bem. Tá agendada faz tempo, esqueceu?

— Mas justo hoje, que completamos três anos de casados?

— A gente comemora outro dia, meu bem. Vamos ter muitos aniversários de casamento pela frente.

— Olha a carinha da sua filha…

— Papai volta logo, minha princesa…

— Volta logo mesmo, porque já estou de oito meses e o bebê pode nascer a qualquer hora… É, filhinha, sua irmãzinha já está prontinha para nascer…

— Então, benzinho, até mais tarde…

— …

— Não acredito que você está chorando…

 

Casa do Migas

— Não pode ser verdade que no primeiro dia de aula da faculdade, o senhor vai faltar.

— É a reunião, mãe, lembra? Tá marcada fazem dias…

— É faz, meu filho! Faz dias! Oito anos de faculdade e não aprendeu a falar?

— Então tá, mãe. Vou nessa!

— ‘Vou nessa!’! O que que é isso, ‘nessa’?

— Ih, mãe, já vi que tá afim de me encher o saco hoje. Vou pra reunião na casa do Latão, o papo é sério, está marcada faz o mó tempão. Fui!

— E o papel que você pediu para eu imprimir?

— Valeu, mãe! Que cara de choro é essa?

 

Casa do Deco

— O Deco está?

— Saiu. Foi para aquela reunião marcada desde não sei quando.

— A senhora sabe que reunião é essa?

— Sinceramente, não sei. Não me meto. Disse que é fundamental a presença dele. Não quis nem jantar.

— Mas ele tinha combinado de sair comigo hoje!

— Seis anos juntos e você não conhece o seu namorado, minha querida? Não precisa chorar…

Casa do Japa e do Didi

— Seu Guilherme ligou e disse que não vem para a janta. Falou que vai direto do trabalho para a reunião.

— Seu Guilherme?

— Não é o nome verdadeiro do Seu Japa?

— E que reunião, criatura?

— E eu é que sei? Deve ser aquelas coisa dele, lá com os amigo da faculdade… Sabe como é o Seu Japa…

— Nunca me falou de reunião alguma… Venho toda produzida e ele nem aí?

— Homem tem mania de fazer as coisa e não avisar a gente, né? Lá em casa é a mesma história…

— E o Didi, o que mora aqui na república com ele?

— Esquece o Seu Didi. O Latão telefonou aí avisando que a reunião era hoje, e ele ficou todo nervoso. Tomou um banho correndo e saiu rapidinho. Devem de ter ido junto, os dois. Aquilo ali é unha e cutícula.

— Eu mato o Japa!

— A senhora tá tão arrumada… Cheirosa… Não chora, não…

 

Reunião na casa do Latão

Deco – Então tá decidido, vamos em dois carros mesmo. No meu e no seu, Latão.

Latão – Já enchi o tanque anteontem, logo cedo. E calibrei os pneus. Tá tudo nos trinque!

Piru – Me passa a cerveja, Japa!

Migas – Olha isso aqui, galera, olha isso aqui! Já até imprimi. O meu lugar tá garantido!

Japa – Essas latinhas num vai dar nem pro começo. Já era, véio. Vou pegar outra aí no freezer; beleza, Latão?

Latão – Também imprimi o mapa do caminho. Peguei no Google. É o que eu achei mais fácil e rápido pra chegar. Você viu isso, Deco?

Didi – Experimenta essa costela que o Piru trouxe. Derretendo!

Deco – Isso o quê, Latão?

Latão – O caminho, caraio! Nós dois não ficamos encarregados de pesquisar o melhor caminho pra chegar lá? E você, Piru?

Piru – Comprei três quilos de costela ontem de manhã cedo. Hoje, saí do trabalho na hora do almoço, coloquei no fogo, na casa da minha mãe, voltei pra firma, e tirei só depois do trampo. Seis horas na brasa! Foi um rolo de papel alumínio inteiro, tá ligado?

Latão – Tô falando do caminho, da nossa viagem!

Didi – Olha a costelinha! Da hora!

Piru – Eu, por mim, ia pelo caminho que eu conheço, que é garantido. Demora um pouco mais…

Migas – Galera, agora já era. Perdi mesmo o horário da facul. Enche o copo aqui pra mim esquecer a cagada, Japa.

Japa – Daqui a pouco a minha mina liga pra me infernizar. Só eu sair sozinho que ela fica achando que eu tô com mulher. Mania!

Piru – Essa muié daqui a pouco tá te levando até no banheiro, tá ligado? Te avisei, velho!

Deco – Vamos organizar, pessoal. Quantas cervejas a gente vai levar?

Piru – Sei lá. Eu tomo umas seis ou oito na viagem. E você, Latão?

Latão – Vou dirigir.

Migas – Mas… e quando a gente chegar no local, antes de entrar?

Latão – Aí vai umas três. Numa golada só.

Deco – Pra mim, a mesma coisa. Vou dirigir, mas tomo umas três na chegada, antes de entrar.

Latão – Bem, a gente sai às cinco e meia. O Piru e o Didi vão no meu carro. O Migas e o Japa no do Deco. Beleza?

Migas – Essa costelinha é o que há.

Latão – Toma aqui uma cópia do mapa, Deco.

Deco – Deixa ali na mesinha, tô com a mão suja. Passa aí a breja, Piru.

Latão – Vamos entrar pela Lapa, pegar a Pompéia e cortar por dentro, naquela ruazinha de cima. Pá! Pum!

Piru – Você tem certeza do caminho, né, Latão? Então, beleza. Não quero me preocupar com isso. Enche o copo aí, Japa.

Japa – Levanta e vem buscar!

Didi – Aproveita e enche o meu também. Bastante espuma.

Piru – Melhor cada carro levar um isopor com 24 latinhas.

Migas – E os becks, Piru?

Piru – Apertei ontem à noite. Tá tudo em cima. Três pra cada carro. Um pra ida, outro pro durante, e o outro pra volta, tá ligado?

Japa – Bem, galera, tô vazando. Até AMANHÃ!

Deco – Guenta aí, véio! Ainda tem costela queimando.

Japa – Minha mina me mata! Vamu ae, Didi?

Didi – Vamu ae!

Piru – Ei, primo, minha mulher deve estar dando a luz! Péra aí que vou com você, Japa.

Migas – Amanhã…

Deco – … amanhã é o nosso primeiro jogo na Libertadores…

Didi – … ano do Centenário…

Migas – … olha a responsa, mano!

Latão – É nóis! Vai, Curíntia!

Comments are closed.