Ao léu

Pinheiros é um bairro de livrarias e sebos – só aqui, perto de casa, tem quatro. Passando na frente de um deles, vi esse livro na mureta que protege a árvore bem na porta do estabelecimento. Entrei, disse para o jovem (ou filho do) dono que algum cliente havia esquecido uma obra na calçada. Isso aí tá todo escangalhado, a capa soltou, ninguém compra, ele disse, deixo aí pros catadores de papel velho. Mas como, é o Rubem Braga! Pois é, se o senhor quiser pode levar, ele falou com cara de que não sabia de quem se tratava. Quanto é? Nada não, pode levar.
Rubem Braga (1913 – 1990), pra quem não teve o prazer, é o maior cronista brasileiro de todos os tempos. Esse livro, “A cidade e a roça”, editado em 1964 pela Editora Sabiá (do autor), é uma coletânea de suas melhores crônicas, escolhidas pelo próprio. Uma preciosidade, um tesouro largado no lixo.

Comments are closed.