Tintura campeã

O dia em que eu lavei meus cabelos ao lado do grande campeão Emerson Fittipaldi, no Estúdio W, do Wanderley Nunes, o cabeleireiro das estrelas.

Você é nova no estúdio?

— Sou, sim. Maria do Carmo. Ducarmo!

— Muito prazer!

— Vai cortar com o Wanderley, né?

— Sim!

— Então, pode sentar aqui, que eu vou te lavar o seu cabelo.

— Aqui?

— Shampoo?

— Pode ser. Nunca te vi no estúdio…

— Deixa eu te falar: fiz teste pra cabeleireira e comecei como lavadeira, isso não tem duas semanas.

— Teste?

— Então, o Wanderley fez teste pra arrumar gente pra trabalhar aqui no salão e eu fui aprovada. Só eu e mais uma outra, a Lurdinha, aquela ali, ó, a moreninha de branco, uma garota muito esperta. Conseguimos! Tinha mais de 200 pessoas, de tudo quanto é lugar. Até do Acre tinha um candidato. Chorou tanto quando não foi escolhido, coitadinho.

— Acontece… Parabéns! E como foi o teste?

— Tinha que lavar, escorrer e depois cortar. Tudo muito rápido. Só isso.

— E você não ficou nervosa?

— Magina. Dois palito.

— E quando é que você vai começar a cortar?

— Deixa eu te falar: leva uma base de três a seis meses. Não gosto muito de lavar, não. Sou boa é pra cortar e tingir. Outro dia veio aqui a Gisela Bitchi (Gisele Büntchen). Bitchi que fala, né? Linda ela, né? Cá entre nós, pernas muito fininhas pro meu gosto. Dois cambitos… Mas tem o colo bonito, já reparou? Então, ela veio aqui cortar com o Wanderley. Lavei o cabelo dela e ainda dei uma sugestão de luzes, que ela adorou e pediu pro Wanderley fazer. Muito simpática ela. Simples, precisa ver. Calça jeans rasgada assim na coxa, que eu acho o ó, mas tá na última moda, sandálias havaianas…

— O Wanderley fez o que você sugeriu?

— Mais ou menos. Ele tem o jeito dele de cortar e tingir, né? Ficou da cor que eu imaginava. Ela ficou mais linda ainda, se é que isso é possível. Que cabelo bonito da Gisela. Que rosto! Que pele! O que que é aquilo, gente?

— É, ela tem um rosto muito bonito.

— Sou boa mesmo é de corte e tintura. Eu que sugeri pro Wanderley cortar o cabelo do Jô Soares bem curtinho e deixar o branco natural. Não ficou melhor? O Wanderley tem uma coisa de bom: se você dá um palpite e ele acha que pode ficar bacana, ele faz. Do jeito dele, mas faz. O Wanderley é muito humano, sabia?

— É…

— Pronto! Cabelos limpos e cheirosos. Agora, senta ali naquela cadeira, pega uma revista e espera o Wanderley te chamar. Fique à vontade.

— Emerson Fittipaldi!

— Wanderley Nunes!

— Ganhou Indianápolis! Tá me devendo um corte dentro do cockpit. Lembra da aposta?

— Lógico! Na próxima corrida. E com televisão!

— O que que é isso aí, Émerson?

— Isso aqui é uma tintura que eu trouxe de Miami, Wanderley. É top de linha. Usa essa. Pode pintar até a costeleta. Parece natural. Tem gente que faz barba e cabelo com ela.

— Ducarmo, lava o Émerson!

— Pode deixar, Wanderley!… O senhor pode sentar aqui.

— Obrigado!

— Como é mesmo o seu nome?

— Emerson.

— Cléverson?

— EMERSON!

— Desculpa. Senta aqui, seu… Merson.

— Obrigado.

— Tintura americana, essa daí?

— É. Trouxe de lá. Lançamento. Um espetáculo!

— Essas coisa de americano… Posso dar uma olhadinha?

— Lógico!

— Marrom?

— Castanho-claro.

— Pra mim isso não é castanho nem aqui nem na China.

— Tá escrito aí.

— E eu entendo?

— Pode confiar. Vi uma pessoa que usou essa tintura, dessa cor, ficou muito bom.

— Prontinho! Agora, senta ali naquela na cadeira, pega uma revista e espera o Wanderley te chamar. Fique à vontade.

— Obrigado!

 * 

— Ducarmo, sua idiota!

— Mas o que foi que aconteceu, Lurdinha? Fiz alguma coisa errada?

— Sabe quem é esse cara que você acabou de lavar o cabelo?

— Esse narigudo que vai tingir com o Wanderley? Muito educado. O que que tem ele?

— Esse aí é o Emerson Fittipaldi!

— ???

— O cara é simplesmente campeão mundial da Fórmula 1, campeão da Fórmula Indy, campeão de tudo quanto é corrida. Você não se ligou que o salão inteiro ficou agitado com a chegada do Emerson Fittipaldi?

— É… vi que tava um zum zum zum, mas como eu podia imaginar que esse Cléverson…

— Esse Emerson é o maior corredor brasileiro de todos os tempos, sua anta! Não fosse ele, não teria Nelson Piquet, Ayrton Senna… não teria ninguém, sua burra! O cara é o melhor do mundo. Só isso.

—Com essa vozinha de taquara rachada? Eu, hein!

Comments are closed.