Tintura campeã

1
— Você é nova no estúdio?
— Sou, sim. Maria do Carmo. Ducarmo!
— Muito prazer!
— Vai cortar com o Wanderley, né?
— Vou.
— Então, pode sentar, que eu vou te lavar o seu cabelo.
— Aqui?
— Shampoo?
— Pode ser. Lógico, shampoo! Nunca te vi no estúdio.
— Fiz teste pra cabeleireira e comecei como lavadeira, fazem duas semanas.
— Teste?
— É. Tinha que lavar, escorrer e depois cortar. Tudo muito rápido. Só isso.
— E você não ficou nervosa?
— Magina.
— E quando é que você vai começar a cortar?
— Uma base de três a seis meses. Não gosto muito de lavar, não. Sou boa é pra cortar e tingir. Outro dia veio aqui a Gisela (Gisele Bündchen). Linda ela. Lavei o cabelão dela e ainda dei uma sugestão de luzes, que ela adorou e pediu pro Wanderley fazer. Muito simpática ela. Simples, precisava ver. Sandálias havaianas.
— O Wanderley fez o que você sugeriu?
— Mais ou menos. Ele tem o jeito dele de cortar e pentear, né? Ficou da cor que eu imaginava. Ela ficou mais linda ainda, se é que isso é possível. Que cabelo bonito da Gisela. Que rosto! Que pele! O que que é aquilo, gente?
— É, ela tem um rosto muito bonito.
— Pronto! Cabelo limpo e cheiroso. Agora, senta ali naquela cadeira e espera o Wanderley te chamar.

2
— Émerson Fittipaldi!
— Wanderley!
— Ganhou Indianápolis! Tá me devendo um corte dentro do cockpit. Lembra da aposta?
— Lógico! Na próxima corrida, você vai. E com televisão!
— O que que é isso aí, Émerson?
— Isso aqui é uma tintura que eu trouxe de Miami. É top de linha. Usa essa. Pode pintar a costeleta também. Parece natural. Tem gente que faz barba e cabelo com ela.
— Ducarmo, lava o Émerson!
— Pode deixar, seu Wanderley! O senhor pode sentar aqui.
— Obrigado!
— Como é mesmo o seu nome?
— Émerson.
— Cléverson?
— ÉMERSON!
— Desculpa. Senta aqui, seu… Merson.
— Obrigado.
— Tintura estrangeira essa daí, é?
— É. Última moda nos Estados Unidos. Lançamento. Um espetáculo!
— Essas coisa de americano… Posso dar uma olhadinha?
— Lógico!
— Brom?
— Brown! Marrom. No caso, castanho-claro.
— Pra mim isso não é castanho nem aqui nem na China.
— Tá escrito aí.
— E eu entendo?
— Pode confiar. Vi uma pessoa que usou essa tintura, dessa cor, ficou muito bom.
— Prontinho! Agora, senta ali naquela cadeira e espera o Wanderley te chamar.
— Obrigado!

3
— Ducarmo, sua idiota!
— Mas o que foi que aconteceu, Lurdinha? Fiz alguma coisa errada?
— Sabe quem é esse cara que você acabou de lavar o cabelo?
— Esse branquelo que vai tingir com o Wanderley? Muito educado. O que que tem ele?
— Esse aí é o Émerson Fittipaldi!
— Isso mesmo, ele me falou o nome dele.
— O cara é simplesmente campeão mundial da Fórmula 1, campeão da Fórmula Indy, campeão de tudo quanto é corrida. Você não se ligou que o salão inteiro ficou agitado com a chegada do Émerson Fittipaldi?
— É… Vi que tava um zum zum zum, mas como eu podia imaginar que esse Cléverson…
— …esse Émerson é o maior corredor brasileiro de todos os tempos, sua besta! Não fosse ele, não teria Nelson Piquet, Ayrton Senna, não teria ninguém, sua burra! O cara é o melhor do mundo. Só isso.
—Com essa vozinha de taquara rachada? Eu, hein!

Comments are closed.